sexta-feira, 9 de abril de 2010

Os Famosos e os Duendes da Morte



Poeticamente inteligente. Acho que esse é o melhor adjetivo para se dizer sobre o filme de Esmir Filho, que foi vencedor do prêmio de Melhor Longa de Ficção no Festival do Rio 2009. Nada mal para o cara que ficou conhecido na intenet pelo vídeo “Tapa Na Pantera”. A produção é baseada no livro do gaúcho da cidade de Lajeado, Ismael Canappele, que também atua no filme. Porém, não se trata de uma adaptação, já que o livro e o roteiro foram escritos ao mesmo tempo.

Com uma fotografia maravilhosa e planos e enquadramentos muito bem dirigidos, o filme fala sobre um menino que mora num pequeno vilarejo, no interior do Rio Grande do Sul e que é fã de Bob Dylan. O seu universo é extremamente limitado devido as poucas opções que sua cidade oferece. Sendo assim, ele encontra como forma de expressão, o veículo da internet. Posta textos em seu blog e conversa com pessoas de outros lugares via MSN. No decorrer do filme, que intercala imagens de pequenos vídeos de internet de um casal, com a vida do protagonista, vamos compreendendo o porque daquelas imagens e qual é a ligação que os personagens possuem. Tudo isso é feito de uma maneira extremamente poética e com uma narrativa de sublime sutileza. Uma curiosidade é que esses vídeos e fotos mostrados no filme já existiam e são da atriz Tuane Eggers. Quem quiser, pode conferir no seu flickr Jingle Jangles: http://www.flickr.com/photos/uncolortv/

Além disso, o filme também fala sobre um assunto ainda não muito abordado e extremamente atual. Trata-se do que podemos chamar de os “fantasmas cibernéticos”, ou seja, pessoas que já morreram e, no entanto, ainda estão vivas no mundo virtual, com seus blogs, vídeos, sites de relacionamentos, etc. O que poderia ser um assunto mórbido, ganha um teor inspirador, melancólico e nostálgico. A questão de que a tecnologia de hoje pode nos distanciar uns dos outros cai por terra. Como já havia profetizado o cigano Melquíades (da obra de Gabriel García Márques, Cem Anos de Solidão), ao apresentar o incrível aparelho binóculo: “A ciência eliminou as distâncias. Dentro em pouco o homem poderá ver o que acontece em qualquer lugar da terra, sem sair da sua casa”. E agora podemos realmente fazer isso, inclusive até mesmo com pessoas que não mais estão entre nós.