domingo, 2 de janeiro de 2011

Scott Pilgrim Contra o Mundo



Brian O'Malley é um cartunista canadense que em 2004 criou uma história em quadrinhos cujo personagem-título é Scott Pilgrim, um menino de 22 anos que vive em Toronto. Ele é baixista em uma banda formada por dois amigos chamada Sex Bob-omb e divide um apartamento com outro amigo que é gay. Sua vida corre de maneira regular até o momento em que se apaixona por Ramona, uma menina nova na cidade. Por enquanto, nada de extraordinário nessa história. No entanto, para sair com Ramona, ele precisa derrotar seus 7 ex-namorados malignos. A partir daí, Brian consegue misturar o cotidiano normal em uma verdadeira aventura de vídeo-game. A cada luta vencida por Scott faz com que ele ganhe pontos e até mesmo "uma vida" (em linguagem de vídeo-game).

A adptação dos quadrinhos para o filme Scott Pilgrim Contra o Mundo, ficou por conta de Edgar Wright, que trabalhou com Tarantino e Robert Rodriguez em "Planeta Terror" (Grindhouse - 2007). O roteiro do filme segue a linha dos quadrinhos de O'Malley e criam uma atmosfera extremamente bem humorada, com diálogos inteligentes e extremamente divertidos. As passagens de cenas do filme chamam a atenção. As elipses ocorrem em cortes secos e de uma maneira muito bem montada e filmada. Os continuistas do filme, com certeza, tiveram muito trabalho!

E a escolha para o personagem de Scott não poderia ser melhor. Michael Cera é simplesmente incrível! Esse jovem ator já demonstrava ter um estilo muito próprio, desde a época em que fazia o seriado "Arrested Development". Com seu rosto delicado e um jeito meio sonso de ser, ele conquista e chama a atenção de uma forma sutil e bem humorada. Aliás, todo o elenco do filme é muito bom, e ainda conta com outros excelentes jovens atores, como Kieran Culkin, Jason Schwartzman e toda uma safra nova não muito conhecida, no entanto, não menos talentosos.

Os efeitos visuais do filme também garantem a diversão. Isso porque eles são usados em momentos do dia-a-dia, por exemplo, quando o telefone toca ou a campainha. E aparecem de forma completa nos momentos dos confrontos de Scott com os ex-namorados de Ramona, simulando um verdadeiro jogo de vídeo-game. O filme todo tem um tom extremamente de ironia e sarcasmo. O meu momento favorito é quando Scott tem que enfrentar Todd. O ex-namorado, que também é baixista e namora a sua ex-namorada. Além do fato da luta ser ainda mais pessoal, o super poder de Todd é justificado pelo fato dele ser vegan, ou seja, é aquele vegetariano radical, que não come ovo, queijo, nem nada de origem animal, ou como ele mesmo diz "nada que tenha um rosto". E é justamente por isso que ele é melhor que os outros. Ele é um ser superior e com super poderes místicos.

Somando tudo isso e mais uma trilha sonora super bacana, o filme agrada não só aos adolescentes como a uma boa leva de adultos. E vai agradar, principalmente, a todos que curtem um bom jogo de vídeo-game, ler histórias em quadrinhos ou simplesmente gostam de ir ao cinema e ver um filme inteligente, divertido e que te faça rir despretensiosamente.